Quando a microbiota intestinal (flora) está em pauta, é certa a menção da importância da dieta na diversidade e na qualidade das bactérias que habitam esse órgão – e que tem relação próxima com a saúde do organismo inteiro. Mas, outro elemento vem provando que também influencia nesse processo: a atividade física.

As bactérias da flora cooperam não só entre si, mas também produzem substâncias benéficas para todo o organismo. Não à toa, quando as bactérias que vivem no intestino está em equilíbrio, há indícios de que o corpo fica mais protegido contra processos inflamatórios – responsáveis pelo aparecimento de um monte de doenças crônicas.

Agora, para favorecer mesmo o desenvolvimento das bactérias boas, os exercícios aeróbicos, como caminhada e natação, são os mais indicados. Eles promovem uma circulação intensa de sangue pelo corpo. Com isso, há maior irrigação e movimento do intestino, o que facilita o crescimento de certos micro-organismos, facilitando assim, o processo da flora intestinal.